A importância da capa

A embalagem é o primeiro contato do consumidor com o produto e a sensação que este contato provocar, poderá decidir uma compra. Isto porque se supõe o conteúdo pela embalagem. São sensações não totalmente conscientes, mas que norteiam as ações humanas, seus hábitos e seu consumo. Sob o ponto de vista do marketing, a embalagem do produto acrescenta uma dimensão estratégica e pode afetar o comportamento do consumidor, pois cria uma percepção do valor do produto (SEMENIK, 1995, p. 331/332).


A função da embalagem está relacionada a dois aspectos (SEMENIK, 1995, p. 344):
- Físico: tem maior importância para o comércio, sendo um atributo fundamental para o transporte e distribuição.
- Psicológico: varia de um mercado para outro em função de fatores socioeconômicos e culturais; influenciando consumidores através do formato, uso de cores, logotipos e ilustrações.

Em estudo desenvolvido pelo Ministério da Indústria e Comércio no ano de 1976 sobre o planejamento de embalagens (MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO, 1976, p. 68/69), foi ressaltado o caráter comunicativo da embalagem, que tem como principal objetivo atrair a atenção do consumidor, tornando o produto reconhecível e memorizável; devendo identificá-lo e caracterizá-lo.

Desta maneira, auxilia a apreciação do produto, evocando associações positivas e persuasivas. Ainda naquele estudo, foram determinados os níveis de comunicação da embalagem, sendo o primeiro nível o da percepção visual, no qual o conhecimento do produto se dá pela decodificação de cores e formas da embalagem.

Sob esta ótica, revistas também possuem sua embalagem: a capa.
Com as mesmas necessidades de uma embalagem comum, a capa da revista deve revelar em parte o seu conteúdo (ou seu espírito) e, sobretudo, atrair o olhado do leitor, convidando-o a conhecê-la. Dentro da estrutura da revista são classificadas 4 partes:



  • Pré-textual: apresentação da edição (resumo do conteúdo incluso na revista), contendo índice, fotos das principais matérias, breve resumo e sua localização.

  • Textual – matérias e artigos: constitui os títulos, linha de apoio, lead, matéria.

  • Pós-textual: é o fechamento da obra: fotos, legendas, box, dentre outros.

  • Elementos extratextuais: é o revestimento da obra, sob a designação genérica de capa.
Pesquisa: O que é atrativo nas capas das revistas?
Vamos identificar de que maneira a capa atrai o leitor/consumidor, bem como quais características gráficas têm maior apelo, analisando a presença das capas e a atratividade que proporcionam, bem como determinar quais as características gráficas que têm maior atratividade e se estas diferenças podem ou não causar impacto nas vendas.

  • A capa, em seu aspecto iconográfico, produz atratividade no leitor/consumidor.

  • A capa de uma revista como elemento determinante para a compra em uma banca.

  • Designs diferenciados produzem resultados diferenciados na percepção do consumidor.
O resultado revelou que a imagem é o elemento mais atrativo em uma capa. Assim fica indicado que a ausência de imagem numa capa pode reduzir a atratividade visual de uma obra.

O elemento menos atrativo indicado foi o tipo de letra. Estas duas questões, que são complementares e auto-reguladoras, visavam apontar se os respondentes indicariam os mesmos elementos como sendo mais ou menos atrativos, independente de como a pergunta fosse formulada.

Numa análise comparativa com a composição de um layout em propaganda, as letras atuam como coadjuvante na construção do layout, servindo de condutor à leitura do texto, conforme Armando SANT’ANNA (2002, p. 160), “A função do título é fixar a atenção, despertar o interesse e induzir à leitura”.

Numa análise visual, a tipologia perde sua força e dá lugar à imagem, seja em forma de ilustração ou de fotografia. Segundo Newton CESAR (2000, p. 219), “o desenho sempre foi uma poderosa forma de comunicação”; e ainda segundo Armando SANT’ANNA (2002, p. 180), “A ilustração de um anúncio tem de servir para reforçar os valores de atenção, compreensão, de memorabilidade e de credibilidade do texto”. Estes pontos são reforçados nas indicações opostas, em que o tipo de letra teve o menor índice de indicação de mais atrativo pelos respondentes e a imagem o segundo menor índice de menos atrativo.

Algumas dicasEvitar a profusão de elementos:
Evite usar mais de dois tipos de letra, e, mais de três cores nas letras.


Discutir as características do mercado:
tendências artísticas sempre trazem atualizações no projeto gráfico da capa.

Ouvir opiniões, principalmente dos mais jovens


Assumir riscos

0 comentários: